Back to home

“We know the way, but not exactly where we are on the journey”

in Travel

Sri Lankan vibes

  • 27 Março, 2018
  • By ana.rita
  • 4 Comments

Sri Lankan vibes

Sri Lankan vibes

Um paraíso em descobrimento, é assim que defino a ilha do Sri Lanka. Onde é possível encontrar um pouco de tudo com cidades tão diferentes umas das outras. A norte montanhas, cascatas, templos ou plantações de chá; A sul praias, parques naturais ou cafés e restaurantes “in”. Estive neste país 15 dias e foi o suficiente para explorar tudo com os timings certos. Um dos meus principais conselhos para quem estiver a pensar fazer esta viagem é calcularem bem as distâncias entre os pontos que querem visitar, porque é uma ilha bastante grande e demora algum tempo para ir de um ponto ao outro. Confesso que não contava com este pequeno/grande pormenor e isso roubou-me imenso tempo. No entanto, deu para ver quase tudo o que tinha planeado.
(Tudo sobre estadias e onde comer num outro artigo)
~
A paradise yet to be discovered. This is how I see Sri Lanka. Here you can find a little bit of everything with such distinct cities. In the north you may find mountains, waterfalls, temples or tea plantations. In the south, beaches, national parks and the trendiest cafés and restaurants. I stayed in this country for 15 days and it was enough to explore it all with the right timings. One of my main advices for those who plan on visiting is to calculate well the distances between locations, as the island is quite big and it takes some time to move around. I confess I wasn’t expecting this little/big detail, so this took me plenty of time off my visits. Nevertheless, I managed to see everything I had planned.
(All information about accommodation and where to eat in the next article)

Aterrei na capital do país (Colombo) e fui direta ao primeiro ponto – Pinnawala – para visitar o maior orfanato de elefantes do mundo. No mapa parece perto mas ainda se tratam de umas boas 2h30 de caminho. Só é possível ver os cerca de 80 elefantes que lá habitam entre as 8h e as 18h, sendo que o horário do banho é entre as 10h e as 16h. A entrada no local custa 2500 LKR (12,96€) e para dar banho aos elefantes são 700 LKR (3,63€).
~
I landed in the country’s capital, Colombo, and went straight to my first destination – Pinnawala – to visit the world’s biggest elephant orphanage. On the map it seems close, but its still a two and a half hour drive. You can only see the 80 elephants that live there between 8AM and 6PM, and their bathing time is between 10AM and 4PM. The entrance costs 2500 LKR (12,95€) and to bath the elephant you have to pay 700 LKR (3,63€)

Spice Garden

Fiquei a dormir uma noite em Pinnawala, por isso, aproveitei para visitar também o Spice Garden. Um jardim com inúmeras plantas que originam produtos de beleza e medicinais 100% naturais. Há desde creme depilatório a xarope para a tosse. A entrada é gratuita mas não se livram de deixar uma gorjeta.
~
I slept for one night in Pinnawala, so I took my time there to visit the Spice Garden. This garden had plenty of plants which made great beauty products and 100% natural medicines. You have it all, from a shaving cream to cough syrup. The entrance is free, but you should leave a tip.

De Pinnawala segui para Sigirya, a antiga capital do Sri Lanka, e foram outras 2h30 de caminho. O objetivo era visitar a Lion Rock, uma rocha gigante que contém uma cidade antiga no cimo. Como as filas para subir os 1200 degraus eram enormes e valor dos 30€ de entrada eram absurdos optei por um programa melhor, escalar a rocha de Pindurangala através da qual é possível avistar a Lion Rock. A entrada custa 500 LKR (2,59€), são cerca de 40 minutos a subir mas no final vale muito a pena.
~
From Pinnawala I went off to Sigirya, the only Sri Lankan capital. This took my another two and a half hours to get there. The goal was to visit the Lion Rock, a huge rock which has a city on top. As the queues to get to walk up the 1200 steps were huge, and having to pay 30€ to visit, I chose a different option. I climbed the Pindurangala Rock, fom where you can see the Lion Rock. The entrance here cost me 500 LKR (2,59€) and it’s a 40 minute walk, but definitely worth it.

Pindurangala Rock

Esta é uma das principais cidades de Sri Lanka. Bastante montanhosa e com muitos pontos de interesse que vão desde templos a jardins e cascatas. As coisas são distantes umas das outras por isso aconselho a ficarem pelo menos 2 dias. Estes são alguns dos principais pontos:
~
This is one of the main cities in Sri Lanka. Loads of mountains and many points of interest to visit, from gardens to waterfalls. Every destinations is very far from each other, so I advise you to stay for at least 2 days. These are some of the main spots:

1- Paradeniya Botanical Gardens
(Para conhecer ao vivo e a cores mais de 5 mil espécies de plantas. A entrada custa 7,77€)
(Get to know more than 5 thousand species of plants. The entrance costs 7,77€)

2- Bahiravokanda Vihara Buddha Statue
(Um templo budista com uma estátua gigante de onde é possível observar toda a cidade. A entrada custa 1,30€)
(Buddhist temple with a huge statue where you can overview the hole city. The entrance costs 1.30€)

Train from Kandy to Ella

A viagem de comboio é imprescindível! É das principais atrações do Sri Lanka e o percurso que o comboio faz tem uma vista incrível sobre os campos de chá. Como a viagem de Kandy para Ella de comboio é muitooo longa, o que fiz foi apanhar o comboio duas estações após a de kandy (em Nuwara Eliya) e seguir até Ella. Os bilhetes de comboio esgotam muito rapidamente, para ir na 1ª classe é preciso comprar com alguns dias de antecedência. Só consegui comprar para a 2ª classe e o valor foi de 110 LKR (0,57€).
~
You can’t miss this train ride! This is one of the main attractions in Sri Lanka, and the train ride give you great views over the tea plantation fields. As the trip from Kandy to Ella take soooo long, I took the train two stops after Kandy, in Nuwata Eliya, and then it was on to Ella. The tickets sell out pretty fast, and to travel in 1st class you need to buy tickets with a couple of days in advance. I only managed to get 2nd class tickets, and I paid 110 LKR (0,57€).

Nine Arches Bridge

Desci do comboio na estação de Ella e o motorista que me acompanhou a viagem quase toda estava lá à espera. De seguida levou-me a conhecer a ponte mais famosa do país.
~
I stepped of the train in Ella Station, and our driver that followed us through my whole trip was there waiting for me, and later took me to the country’s most famous bridge.

Lipton’s Seat

Como tinha planeado visitar alguns pontos perto de Ella e um dia não era suficiente, fiquei uma noite a dormir em Ella. No dia seguinte, rumo ao sul, visitei as plantações de chá da Lipton e a cascata mais linda de sempre – Diyaluma. Atenção que a distância entre os dois pontos é enorme e o tempo que se perde a alcançar cada um deles é longo. Para terem noção, de Ella até às plantações do chá são 2h30 de caminho. Assim que chegam aos portões do Lipton’s Seat ainda têm pela frente cerca de 10 km até ao topo, o que dá um total de 1h3o no mínimo. Após alcançarem o topo e encherem o cartão de memória com fotografias é tempo de regressar para trás, ora mais 1h30 de caminho. Deste ponto até à cascata (até onde os carros podem ir) são mais 2 horas.
~
As I had planned some visit around Ella and one day wasn’t enough, I slept here for a night. On the next day, I visited the Lipton Tea Plantations and the most beautiful waterfall every – Diyaluma. Bear in mind that the distance between these 2 places is huge, so it takes a couple of hours to get to each place. From Ella to the tea plantations, it was a two and a half hour drive. As you get to the gates of the Lipton’s Seat, you still have 10km until the top, so it totals around one and a half hours, minimum! Once you get to the top and fill up your memory cards with pictures, it’s a one and a half hour walk back down. From this spot to the waterfall, we drove 2 more hours.

Diyaluma Waterfall

Para alcançar o topo da cascata é preciso escalar a montanha durante cerca de 40 minutos. Aconselho a fazerem-no horas antes do sunset para terem tempo de curtir um bocadinho a vista lá de cima e descerem a montanha ainda de dia. Gostei tanto desta cascata que fui lá duas vezes. Só os “locals” sabem como chegar ao topo, como já fiz o percurso deixo-vos aqui a localização para vos facilitar a vida.
~
To get to the top of the waterfall you face a hike of around 40 minutes. Take my advice and go for it a couple of hours before the sunset, so that you have time to chill and enjoy the view before hicking back down in the daylight. I loved this waterfall so much I went there twince! Only the locals know how to get to the top, so I’ll leave you a link with the location to make your life easy.

 

O sul da ilha já é um pouco mais turístico, com isto não quero dizer que seja mau, antes pelo contrário. Tem melhores condições de alojamento, restauração e praias lindas de morrer. Lá está é uma ilha que tem para todos os gostos. Perto de Mirissa, na praia de Weligama, é onde se come o melhor peixe e marisco frescos. Em Mirissa há inúmeros restaurantes & cafés bons e giros (vou publicar a minha lista de favoritos em outro artigo).
~
The south of the island is more touristic, and this doesn’t mean that its bad. On the other had, you can find better accommodation, restaurants and beautiful beaches. This island is so diverse it really fits all types of travellers! Close to Mirissa, in the beach of Weligama is where you can eat the best fresh fish and seafood. In Mirissa there are several restaurants and cute cafés (I’ll publish a list of my favourite in the next article).

Sea Turtle Hatchery

Este para mim foi um dos pontos altos da viagem. Visitar a incubadora das tartarugas e poder lançar tartarugas bebé ao mar foi uma sensação incrível. O sítio fica aqui e a entrada com direito a lançar 3 tartarugas ao mar custa 1500 LKR (7,75€). Só é possível lançar as tartarugas ao mar às 17h.
~
This was one of the best moments of my trip. Visiting the turtle hatchery and being able to set a couple of baby turtles free into the wild was really amazing. I’ll leave you the location for this spot here. The entrance costs you 1500 LKR (7,75€) and you can see all the hatchery and you are given three turtles to set free at aroun 5PM.

Esta zona fez-me lembrar Bali. Tem muitos cafés e restaurantes giros para experimentar. À noite há muitos bares para quem se quiser divertir um pouco e beber uns copos. É também aqui que podem encontrar a famosa palmeira do baloiço da praia. Para encontrá-la não é fácil, dei muitas voltas até finalmente dar de caras com ela. Mais uma vez pensei nos meus fieis leitores e deixo aqui a localização.
~
This area reminds me of Bali. There are many cafés and cool restaurants all around for you to explore. At night, there are plenty of bars for those of you who want to have some drinks. Here who can also find the famous beach with a swing hanging from a palm tree. Its not easy to find, I spent some time looking for it but I finally found it. Once again, I thought about my dear blog followers and I marked the location, which is here.

Curiosidades/Dicas:

  • O transporte no norte da ilha é o mais caro da viagem. O que compensa mais é arranjar um motorista com um carro ou carrinha que vos acompanhe grande parte da viagem. É muito difícil encontrar quem o faça por isso posso disponibilizar o contato de whatsapp de quem me acompanhou. Compensa se forem em grupo de 6 pessoas para encher uma carrinha porque irem 6 ou 2 pagam o mesmo. De Kandy ao sul dá uma média de 60€.
  • Para conduzir mota no Sri Lanka é necessário ter uma licença internacional.
  • Para quem arriscar conduzir sem licença e for mandado parar, o truque é não falar inglês. Acabam por vencê-los pelo cansaço em tentar comunicar.
  • Não há álcool à venda nos supermercados, só em hotéis, alguns bares e restaurantes.
  • Quando alugarem motas não deixem o vosso passaporte nunca! Digam que está na receção do hotel e dão o BI.
  • Atenção aos pescadores da praia, não são muito amigáveis e pedem dinheiro para quem quiser chegar perto. Não tive a melhor experiência com eles.

P.S: Tenho o roteiro completo do Sri Lanka feito para quem quiser. Se tiveres interesse deixa o teu e-mail num comentário.

Interesting facts/ Tips:

  • Transportation in the north of the Island is the most expensive of the trip. It is better for you if you book a driver with his own car or van and he will drive you around all of your trip. It is hard to find a guide practicing honest prices, so if you need I can share with you the whatsapp contact of my driver. Its really worth it, specially in bigger groups, as 6 people with pay the same total amount as 2. From Kandy to the South, it should average 60€ total.
  • If you want to drive a bike or moped in Sri Lanka, you need an international licence.
  • If you drive without a licence, you might get stopped. The trick here is to speak any language besides English. You eventually beat them are they can’t take it.
  • There is no alcohol for sale in the supermarkets, only in hotels and some restaurants.
  • When you rent your bike, don’t leave your passport! Tell them the hotel has your passport and give them your ID, which is not as essential as your passport.
  • Be careful with the fisherman in the beach. They aren’t very friendly and will ask you for money if you get too close. I did not have the best experience with these guys.

P.S: I have my whole guide to Sri Lanka. To those of you who want it, leave your email on the comment section and I will email it to you.

 

Anne Rie

By ana.rita, 27 Março, 2018
  • 4
4 Comments
  • Rita
    28 Março, 2018

    Olá, estou a pensar em ir ao Sri Lanka em finais de Janeiro e ficar por lá uns 15/20 ficas. Será que me podias dar umas dicas?

  • Micaela Ribeiro
    6 Abril, 2018

    Olá Ana,
    Já te sigo à algum tempo, mas segui religiosamente tudo sobre esta viagem, pois é um dos meus destinos de sonho, prestes a ser concretizado.
    Se podesses dispensar o teu roteiro, ficaria muito grata.
    (micarib@msn.com)
    Beijinhos e continua ⭐️⭐️

  • Joana Pereira
    6 Junho, 2018

    Adorei o artigo, as fotos são incríveis!
    Podes enviar-me o teu roteiro, estou a pensar seriamente em viajar até ao Sri Lanka 🙂
    (joanarspereira24@gmail.com)
    Beijinhos

  • Rita
    25 Agosto, 2018

    Olá. Estou a programar a minha viagem para o Sri lanka para final de Janeiro. Foste tu que tiraste tudo? Eles pedem um visto. Será que me podias ajudar em ver a melhor forma de tirar a viagem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter Signup

Leave your email address and receive weekly updates.
Instagram API currently not available.